Mostrar 44 resultados

Descrição arquivística
Ponte Com objeto digital
Previsualizar a impressão Ver:

Ata - 19/10/1833

Ata da reunião de 19 de outubro de 1833, onde tratou-se sobre: abordaram requerimentos e um requerimento de pagamento no valor de quatrocentos mil reis para Manoel Rodrigues Sampaio por conta da ponte que o mesmo está perto de finalizar a obra. Foram assinadas as contas no livro competente, cartas de datas e os mandados para o porteiro e o fiscal.
Documento escrito por Francisco Florencio do Amaral, e assinado por Antonio Fiuza de Almeida, Elias de Almeida Prado, Bento Manoel de Morais, Manoel de Toledo Silva e Antonio Jose da Silva.

Ata - 06/05/1834

Ata da reunião de 06 de maio de 1834, onde tratou-se sobre: Foi lido um ofício de Antonio Jose da Silva na qual o mesmo pede que a Câmara lhe pague a respeito da ponte, ofícios e relátorios.
Documento escrito pelo secretário Franciso Florencio do Amaral e assinado por Antonio Fiuza de Almeida, Francisco Jose Maxado, Bento Manoel de Morais, Antonio de Arruda Leme e Manoel de Toledo Silva.

Ata - 15/02/1835

Ata da reunião de 15 de fevereiro de 1835, onde tratou-se sobre: O senhor presidente declarou que o motivo da sessão é para tomar providencias sobre a Vila que se encontra sem pároco, porque o vigário está em Itu cuidando da saúde por estar enfermo. Foi lido um ofício do fiscal desta vila em que após ter colocado o cadeado no portão da ponte, o mesmo só durou uma noite porque foi todo quebrado, e sendo assim foi deliberado que o fiscal colocasse um cadeado de ferragem bem forte.
Documento escrito pelo secretário Francisco Florencio do Amaral e assinado por Manoel de Toledo Silva, Bento Manoel de Moraes, Elias de Almeida Prado, Francisco Jose Machado, Domingos Soares de Barros e Antonio de Arruda Leme.

Ata - 08/07/1836

Ata da reunião de 08 de julho de 1836, onde tratou-se sobre: Foi lido um ofício do arrematante da Cadeia em que diz não ter madeiras no Pau-Queimado para construção das vigas, e que peçam madeiras para Vicente da Silva, pois nos matos do mesmo existe madeira suficiente. Discutiram sobre dinheiro para a ponte, um ofício sobre as dívidas de Capivari e despacharam requerimentos pedindo datas.
Documento escrito pelo secretário Francisco Florencio do Amaral e assinado por Antonio Fiuza de Almeida, Bento Manoel de Moraes, Miguel Antonio Gonçalves, Teotonio Jose de Mello, Elias de Almeida Prado e Francisco de Camargo Penteado.

Ata - 16/04/1827

Ata da reunião de 16 de abril 1827, realizada na casa do juiz ordinário, onde foram convocados os vereadores e procurador, na qual, mandaram chamar Garcia Rodrigues Bueno e Francisco Franco da Rocha Caetano Jose da Cunha para efeito de jurarem quantão deram de avenças da ponte a Manoel Dias .
Documento registrado pelo escrivão João Baptista de Siqueira e assinado por: Silva, Oliveira, Aranha, Fiuza ,Gorgel, Cunha, Bueno, Roxa, Nunes, Sampaio e Almeida Lima.

Ata - 29/04/1827

Ata da reunião de 29 de abril de 1827, realizada na casa do juiz presidente, onde foram convocados os vereadores e procurador, faltando o vereador mais velho, na qual, mandaram chamar Manoel Dias Ribeiro para fazer uma comodação com o dito valor sobre a ponte.
Documento registrado pelo escrivão João Baptista de Siqueira e assinado por: Silva, Aranha, Fiuza, Ribeiro e Gorgel.

Ata - 21/07/1831

Ata da reunião de 21 de julho de 1831, onde tratou-se sobre: Questão da ponte do ribeirão do Alambarí, na Capela de Santa Bárbara, e da ponte sobre o “Guaimehu”. Proposta do presidente para a retirada de formigas. Documento escrito pelo secretário Francisco Florencio do Amaral e assinado por: Rosa, Fiuza, Passos, Gorgel e Oliveira.

30 de julho de 1910

Resolução de lei que autoriza a Prefeitura a despender, pela verba “Obras Públicas”, a importância de 350*000 réis como auxílio para a construção de uma ponte sobre o ribeirão congonhal.

Consta também:

  • Abaixo assinado dos moradores do bairro do Pau Preto, de 30 de maio de 1910, endereçado ao Presidente e membros da Câmara Municipal, para que lhe sejam auxiliados a quantia de 500 mil réis na construção de uma ponte no Ribeirão Congonhal, ponte que foi orçada por 600 mil réis;
  • Parecer da Comissão de Obras Públicas de 4 de julho de 1910, onde se acha justo o requerimento dos moradores do bairro do Pau Preto para que seja construída como auxílio uma ponte sobre o ribeirão Congonhal, despendendo 350*000 réis para a obra. Parecer aprovado em 1ª e 2ª discussão;
  • Redação da presente lei.

Ata - 26/09/1836

Ata da reunião extraordinária de 26 de setembro de 1836, onde tratou-se sobre: oficio da Mesa do Colégio Eleitoral, também foi proposto que se marcasse a data para posse dos novos eleitores para Juiz de Paz da Vila. Na mesma sessão leu-se um ofício do Subprefeito referente a ponte sobre o Rio Piracicaba, que estava danificada e um ofício de Domingos José da Silva Braga, no qual solicita licença para fechar quarteirões na Vila. Documento redigido pelo secretário Francisco Florencio de Amaral e assinado por: Antônio de Fiuza Almeida; Teotônio José de Melo; Francisco de Camargo Penteado; Manoel de Toledo Silva; e Miguel Antônio Gonçalves.

Ata - 25/12/1833

Ata da reunião de 25 de dezembro de 1833, onde tratou-se sobre: O presidente declarou que o motivo da sessão é a entrada da ponte que finalmente foi concluída pelo mestre Manoel Rodrigues de Sampaio, e que fosse nomeado um homem “suficiente” para fazer a cobrança da ponte.
Documento escrito por Francisco Florencio do Amaral, e assinado por Antonio Fiuza de Almeida, Manoel de Toledo Silva, Bento Manoel de Morais, Antonio de Arruda Leme e Francisco Jose Maxado.

Resultados 1 a 10 de 44