Mostrando 30 resultados

Descrição arquivística
Cia Paulista Com objetos digitais
Visualizar impressão Visualizar:

Textual

Documentos que tratam da construção do ramal e estação pela Companhia Paulista de Estradas de Ferro, desde o início das negociações em 1902 até a sua inauguração em 1922.

RESOLUÇÃO - 02/09/1907

Cópia da resolução na qual se resolve nomear uma Comissão para entende-se com a diretoria da Companhia Paulista de Vias Férreas e Fluviais, em data de 02 de setembro de 1907. Tal comissão foi composta por: Paulo de Moares Barros, Manoel da Silveira Corrêa e Francisco A. de Almeida.

Ramal Cia Paulista

Em uma época onde a produção de café era predominante em São Paulo, os fazendeiros encontraram uma solução para despacharem pelo porto de Santos suas safras de café, essa solução se chamaria ferrovias. A Estrada de Ferro São Paulo
Railway foi a primeira ferrovia do estado de São Paulo, idealizada pelo ilustre Barão de Mauá, tendo principiado sua construção em 1862 e inaugurada em 1867, sendo a sexta ferrovia do país a ligar a cidade de Jundiaí ao Porto de Santos. Piracicaba estaria longe de ter uma via férrea adequada, somente em 1902, após via férrea anterior a Paulista começar a apresentar dificuldades.
No dia 26 de março de 1902, principiaram as iniciais negociações acerca da construção de uma via férrea que ligasse a capital, já que as Companhias União Sorocabana e Ituana apresentavam dificuldades. Foi informado a Companhia Paulista de Vias Férreas e Fluviais, a vontade que a cidade possuía em construir um ramal, e pediam ainda um auxílio para a construção da mesma. Esse passo inicial foi dado pelo presidente da câmara, Dr. Paulo de Moraes Barros, sobrinho de Prudente de Moraes.
Em um oficio datado do dia 14 de abril de 1902, a Companhia Paulista de Vias Férreas e Fluviais, responde de forma positiva a cidade de Piracicaba, sobre a construção de um ramal ferroviário. O oficio apresenta alguns termos apresentados pela Companhia Paulista, sendo um deles alegando que fica a cargo da Câmara Municipal a escolha de um local para a construção do traçado, e que a companhia se obriga a construir o ramal no prazo de um ano após a aprovação do projeto pelo governo. O local cedido para a construção da Estação da Paulista foi doado por João Baptista da Rocha Conceição e sua esposa Maria Nazareth da Consta Conceição, proprietários da Fazenda Nazareth, atual Chácara Nazareth.
O processo de aprovação e construção se estenderam por anos. No dia 23 de janeiro de 1920, a Companhia Paulista, que deveria inaugurar o ramal férreo de Nova Odessa a Piracicaba, pede uma prorrogação do prazo até o dia 31 de março de 1922, tempo em que companhia julgava suficiente para a conclusão do ramal. No dia 29 de julho de 1922, finalmente após uma viagem inaugural de trem que partiu da estação da Luz, em São Paulo. A locomotiva fez o percurso vindo da capital até a Estação Recanto, em Nova Odessa, para então, desviar sua rota em direção ao trecho do novo ramal ferroviário entre as cidades de Santa Bárbara d´Oeste e Piracicaba. A inauguração contou com uma grandiosa festa em toda a cidade; uma ata do dia 22 de julho de 1922, o presidente da câmara declara que tomem conhecimento de um programa de festas a serem realizados no dia da inauguração do ramal Nova Odessa Piracicaba, da Companhia Paulista de Estradas de Ferro.

PROJETO DE RESOLUÇÃO - 28/06/1922

Projeto de Resolução nº 26, sobre os festejos por ocasião da inauguração da Paulista e os recursos despendidos para tal, em data de 28 de junho de 1922

PARECER -30/11/1921

Parecer nº84, da Comissão de Finanças, em data de 30 de novembro de 1921 a respeito do pedido de prorrogação de prazo para a finalização do ramal, feito pela Companhia Paulista de Estradas de Ferro.

PARECER - 31/12/1921

Parecer do prefeito Fernando Febeliano da Costa, em data de 31 de dezembro de 1921, sobre a solicitação de prorrogação de prazo para a inauguração do ramal de Piracicaba pela Cia. Paulista de Estradas de Ferro.

Prefeitura de Piracicaba

OFÍCIO-26/03/1902

Cópia de ofício enviado pela Câmara Municipal de Piracicaba a Cia. Paulista de Vias Férreas e Fluviais. No documento a Câmara expressa as razões da necessidade de construção do ramal “ligando-se a rede geral dessa Companhia em S. Jeronymo, próximo a Villa Americana, ou em outro ponto que os estudos técnicos demonstrarem ser o mais conveniente”.

“Compreendendo bem o que vai lucrar com o novo ramal, a Municipalidade de Piracicaba propõe-se a concorrer para a construção dele com a quantia que Vº Exº julgares de equidade e de razão e que sejam compatíveis com os recursos do seu orçamento”.

OFÍCIO-14/04/1902

Ofício enviado pela Cia. Paulista de Vias Férreas e Fluviais, em 14 de abril de 1902, a Câmara Municipal de Piracicaba, em resposta ao ofício de 26 de março de 1902. No documento são expostas as bases para a realização da obra de um ramal ferroviário.

OFÍCIO -16/11/1921

Ofício, de 16 de novembro de 1921, enviado ao prefeito de Piracicaba, Fernando Febeliano da Costa, por [André Prado], presidente da Cia. Paulista de Estradas de Ferro, no qual informa que não seria possível concluir a construção do ramal férreo até dia 31 de dezembro, data fixada em contrato. No ofício são expostos os motivos para o atraso e também é solicitada a prorrogação do prazo. Tal ofício foi encaminhado à Câmara em 20 de novembro de1921.

Companhia Paulista de Estradas de Ferro

Resultados 1 até 10 de 30