Mostrando 509 resultados

Descrição arquivística
Item Imagem Com objetos digitais
Visualizar impressão Visualizar:

A Filha da Floresta

Livro ilustrado intitulado "A FILHA DA FLORESTA", escrito por Thales de Andrade. A Filha da Floresta foi o primeiro trabalho do autor na literatura infantil, publicado pelo Jornal de Piracicaba em 1919. É considerado o primeiro manifesto ecológico da literatura infantil brasileira devido, à preocupação de evitar a devastação desenfreada das matas, incentivar o reflorestamento e despertar nas crianças o amor pela vida simples do campo, destacando a importância da utilização racional do solo e, sobretudo, o respeito à natureza. As ilustrações são de Francisco Richter. O livro faz parte da coleção "Encanto e Verdade", (Livro I) organizada pelo próprio Thales de Andrade, e tem como editora a "Companhia Melhoramentos de São Paulo" (Weiszflog Irmãos Incorporado). Na capa da bibliografia é possível ver o preço da mesma = 1$500.

Thales Castanho de Andrade

A Igreja Católica e a escravidão

Livro intitulado "A Igreja Católica e a escravidão", escrito por Joaquim da Silveira Santos, sob o n. 342, foi publicado em janeiro de 1913, no Rio de Janeiro, na sede central da Igreja Positivista do Brasil – Templo da Humanidade. O livro é uma mescla de uma série de artigos publicados no jornal "Gazeta de Piracicaba". Há na contracapa uma declaração manuscrita, datada de 15 de fevereiro de 1922: "Declaração. Junta-se o presente opúsculo apenas como documento, e não por se lhe atribuir merecimento de fundo era de forma que o torne digno de ser lido daqui a cem anos.
Piracicaba, 11 de fevereiro de [...], 68 da era Normal
15 de Novembro de 1922
Joaquim da Silveira Santos
(em transcrição livre)

Joaquim da Silveira Santos

A verdade do voto

O folheto A Verdade do Voto, foi escrito por Amadeu Amaral, em 1922, fruto da campanha do voto secreto junto a Liga Nacionalista. O folheto foi [...] "destinado a mais larga distribuição, no qual ficariam claramente demonstradas as vantagens do voto secreto e explicado o seu verdadeiro conceito [...] com “tiragem de uma edição de 10.000 exemplares do trabalho [...] no qual é claramente explicado o que é o voto secreto, suas vantagens e seu mecanismo. ” (CARNEIRO, 1927, p. 199-201).

Amadeu Amaral

Alma Contemporânea

Livro de Sud Menucci, onde assina também com seu pseudônimo Saul Maia, foi lançado pela editora Cultura Brasileira, em São Paulo. O livro, com data de 1918, trata de questões relacionadas ao problema dos ajuizamentos morais na arte, na religião, na filosofia, na disciplina social, problemas apontados pelo autor, como decorrentes do medo (influenciados pela barbárie da 1ª Guerra Mundial). (MENEZES, 2015, p.32), trata-se de um conjunto de artigos do autor, onde “ a forma de artigos dispersos, sem ligação nenhuma entre eles, baralhando as idéas e subvertendo a ordem lógica da exposição. É que eles representavam, para mim, o papel de ementas e notas donde, algum tempo, eu extrairia o livro” (trecho extraído do prólogo, em transcrição livre).
Há na contracapa uma dedicatória manuscrita “Ao aluno da Escola que funcionar neste mesmo estabelecimento e que haja obtido maior soma de pontos em “Literatura”, si essa cadeira fizer parte do programa, ou, em caso negativo, ao aluno que revelar na imprensa o maior [pendor] para as coisas literárias. Oficie-se [...?] Piracicaba, 15-XI-1922”

Alvorada - cantos escolares

O livro Alvorada – cantos escolares, segunda edição, 1ª parte, possui 20 cantos de um total de "60 cantos escolares, a uma e duas vozes com acompanhamento de piano", onde foram ""escolhidos, adaptados e graduados" (em transcrição livre), foi publicado em 1922, pela Seção de Obras do Jornal de Piracicaba e de autoria de Fabiano R. Lozano, que foi professor de música da Escola Normal de Piracicaba e no Colégio Piracicabano. Destaca-se algumas músicas existentes no livro que são: "1- Já sei solfejar", "2 - Vamos, companheiros", "3 - Nossa flores", "4 - Marchemos", "5 - O velhinho", "6 - Marchemos", "7 - O velhinho", "8 - Terra natal", "O bemtevi", entre outras.

Fabiano R. Lozano

Ata - 17/02/1831

Ata da reunião de 17 de fevereiro de 1831, onde houve Sessão Extraordinária e foi deliberado sobre a posse do Sargento Mor Domingos Soares de Barros para Juiz de Órfãos da Vila, representação do Juiz de Paz sobre a necessidade da criação de uma Casa de Correição.
Documento registrado e escrito pelo Secretario Francisco Florencio do Amaral e assinado por Roza, Fiuza, Passos, Gorgel e Silva.

Ata (06/10/1850)

Reunião ocorrida no consistório da Irmandade do Santíssimo Sacramento, em [06] de outubro de 1850, com a presença do Reverendo Vigário Manoel José da França, para a eleição de provedor e mais empregados da Irmandade. Sendo eleitos: Albano Leite do Canto (Provedor); Francisco José da Conceição (Secretário); Joaquim da Silva (Procurador) e Domingos José Lopes Rodrigues (Tesoureiro). Na mesma foram nomeados os irmãos da mesa: Joaquim Rodrigues Cezar, José Pinto de Almeida, Joaquim Floriano Leite, Joaquim Jose de Oliveira, [Joaquim] Aranha de Camargo, Ignácio de Vasconcellos Cunha Caldeira, João Francisco de Oliveira Leme, Joaquim Antonio Fernandes, Joaquim de Oliveira Bueno, Marcelino José Pereira, Melchior de Mello [Castanho], Pedro Domingues Paes Leme, Rafael de [Silveira] Vieira, Manoel Duarte Novais, Salvador de Ramos Correa, Antonio José de Almeida, Bento Manoel de Moraes, Antonio José da Silva Gordo, Antonio Fiusa de Almeida e José Viegas Muniz. Ata lavrada pelo secretário Francisco José da Conceição e assinada por todos os presentes.

Irmandade do Santíssimo Sacramento

Bilhete de Loteria

Bilhete de Loteria da Cruz Vermelha Brasileira, edição especial do Centenário da Independência Brasileira. Na iconografia observa-se, ao lado esquerdo, uma mulher, trajando vestimentas de enfermeira.

Bolsa (1)

A bolsa faz parte dos utilitários doados pelo ex combatente Joaquim Moreno.

Revolução de 1932

Bolsa (2)

A bolsa faz parte dos utilitários doados pelo ex combatente Joaquim Moreno.

Revolução de 1932

Resultados 1 até 10 de 509